Fiasco: A França elimina o Brasil da Copa do Mundo

O futebol brasileiro assistiu neste domingo a uma de suas maiores tragédias. Menor que a da Copa do Mundo de 1950, perdida em casa, talvez equivalente à do Mundial de 1982, o superfavorito time do Brasil foi eliminado nas quartas-de-final da Copa da Alemanha ao perder por 1 a 0 para a França, no Waldstadion, em Frankfurt. Jogando mal, o ainda atual campeão mundial (dono de cinco títulos), viu os franceses se tornarem o algoz histórico da equipe, pois é terceira vez que o time bate os brasileiros no torneio (já o havia feito em 1986 e 1998). A derrota é uma tragédia porque nunca havia chegado ao torneio um time considerado tão favorito, recheado de jogadores consagrados e cheio de títulos. Tinha ganho, nos últimos anos, a Copa América, a Copa das Confederações e ainda foi o líder nas Eliminatórias Sul-Americanas. O fato só assusta tanto porque quem assistiu à competição não viu o time e o "Quadrado Mágico" do técnico Carlos Alberto Parreira jogarem bem. É verdade que o time ganhou todos os jogos que disputou até então, mas não estava agradando. O mundo inteiro tinha pedido um jogo bonito e isso, agora, fica para 2010, na África. Já a seleção da França segue no torneio e Zidane tem mais dois jogos em Copas antes de se despedir do futebol: a semifinal contra Portugal, na quarta, e ou a final ou a decisão de terceiro lugar. Jogo tenso, apenas um chute a gol A partida no Waldstadion foi tensa no primeiro tempo. O Brasil começou dominando, tentando chegar ao ataque, mas a pressão durou por cerca de dez minutos. Depois disso os franceses passaram a dominar o meio-campo e a tentar jogar nos erros do time de Carlos Alberto Parreira. Foram poucas as chances de ataque criadas por ambos os times. O problema da seleção brasileira foi visível: o meio e as laterais. A entrada de Juninho Pernambucano e o avanço de Ronaldinho ao ataque criou um buraco. Com Kaká errando muitos passes e Zé Roberto distante, mais preocupado com a marcação, o time tinha dificuldades para atacar. Foi neste espaço que a França tentou jogar, avançando a marcação, com Vieira carregando a bola e Zidane tentando algo em lances rápidos. No segundo tempo a seleção francesa continuou melhor, mais perigosa no ataque. E conseguiu marcar o gol aos 11 minutos. Cafu fez a falta na lateral, próximo à grande área. Na cobrança, Zidane mandou alta, no lado esquerdo de Dida (na segunda trave) e Henry, sozinho (Roberto Carlos parou), só tocou de pé direito para mandar a bola para a rede. Depois disso a história não mudou muito. Mesmo com as alterações o time brasileiro continuou tendo problemas (quando chegava, finalizava mal) e os franceses mostravam mais força no ataque, fazendo o possível para o tempo passar. E foi assim que garantiram a vitória por 1 a 0. O único chute certo ao gol dos brasileiros foi no fim, com Ronaldo. Barthez pegou e garantiu a vitória Ficha técnica Brasil 0 x 1 França Brasil - Dida; Cafu (Cicinho), Lúcio, Juan e Roberto Carlos; Gilberto Silva, Zé Roberto, Juninho Pernambucano (Adriano) e Kaká (Robinho); Ronaldinho e Ronaldo. Técnico: Carlos Alberto Parreira. França - Barthez; Thuram, Sagnol, Galas e Abidal; Makelele, Vieira, Malouda (Wiltord) e Zidane; Ribery (Gouvou) e Henry (Saha). Técnico: Raymond Domenech. Gol - Henry, aos 11 minutos do segundo tempo. Juiz - Luis Medina Cantalejo (Espanha). Cartão amarelo - Cafu, Juan, Ronaldo, Sagnol, Lúcio, Saha e Thuram. Local - Waldstadion, em Frankfurt (Alemanha).

Agencia Estado,

01 Julho 2006 | 17h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.