Fifa ameaça suspender Espanha por interferência política

Governo quer realizar eleições na Federação Espanhola, o que fere as normas da entidade máxima do futebol

Mark Elkington, REUTERS

18 de fevereiro de 2008 | 11h40

A Espanha será impedida de disputar competições oficiais da Fifa se o governo do país continuar pressionando pela realização de eleições na Federação Espanhola de Futebol (RFEF), disse o presidente da entidade internacional, Joseph Blatter. "Se o governo espanhol, através da sua Secretaria de Esportes, continuar a interferir nas questões do futebol, eles terão de entender que seus clubes e a seleção serão excluídos de competições internacionais", disse Blatter à imprensa espanhola nesta segunda-feira. "Seria duro, mas precisaria de apenas seis horas para convocar uma reunião do comitê de emergência da Fifa para avaliar e decidir sobre a exclusão da Espanha." "A Espanha não poderia jogar a Eurocopa de 2008, e os clubes do país não continuariam na Liga dos Campeões nem na Copa da Uefa." O apoio de Blatter ao presidente da RFEF, Angel Maria Villar, acontece após a Secretaria de Esportes do governo ter solicitado que todas as federações esportivas não envolvidas com os Jogos de Pequim realizem eleições antes da Olimpíada, que acontece em agosto. "Isso [intervenção do governo] não é um problema novo para a Fifa. Aconteceu pela primeira vez em Portugal, onde uma carta nossa foi suficiente para mudar a lei sobre esportes", afirmou Blatter. "Na Grécia, nós tivemos de suspender a federação indefinidamente e tudo foi resolvido em 48 horas." "Não temos uma situação de crise no momento. Temos um fogo pequeno, mas ainda não é preciso chamar os bombeiros."

Tudo o que sabemos sobre:
Fifaseleção espanhola

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.