Arnd Wiegmann/Reuters
Arnd Wiegmann/Reuters

Fifa amplia pena de dirigente afegão acusado de abusar sexualmente de jogadoras

Keramuddin Karim ficará suspenso do futebol por mais 90 dias após denúncias de atletas do país

Redação, Estadão Conteúdo

12 de março de 2019 | 12h38

Sob investigação da Fifa por causa da acusação ter abusado de jogadoras, o presidente da Federação Afegã de Futebol, Keramuddin Karim, vai permanecer suspenso do futebol por mais 90 dias.

A Fifa anunciou nesta terça-feira que aproveitou uma solicitação dos investigadores para prorrogar a suspensão provisória do dirigente, que já estava em vigor pelo mesmo período, desde 12 de dezembro de 2018 e iria encerrar a sua validade.

"Karim vai continuar suspenso de todas as atividades ligadas ao futebol a nível nacional e internacional", afirmou a Fifa, que anteriormente havia negado um recurso do dirigente contra a punição, através do seu comitê de apelações.

No ano passado, jogadoras da seleção feminina afegã acusaram o presidente da federação de abusos sexual e físico. A Fifa já havia sido alertada sobre denúncias de abuso na sede da federação em Cabul e em um centro de treinamentos na Jordânia.

Em consequência das acusações, o presidente do Afeganistão, Ashaf Ghani, também ordenou uma investigação e a marca esportiva dinamarquesa Hummel cancelou um acordo de patrocínio e fornecimento de material para a seleção nacional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.