Fifa analisa protesto da Costa Rica por jogo sob nevasca

A Fifa informou nesta segunda-feira que está estudando um protesto apresentado pela Federação Costarriquenha de Futebol, que quer a repetição da partida da Costa Rica contra os Estados Unidos, realizada na última sexta, em solo norte-americano, em um campo tomado por uma significativa quantidade de neve. A entidade diz que a sua seleção foi prejudicada pelas condições climáticas no confronto válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2014, que terminou com vitória da equipe da casa por 1 a 0.

AE-AP, Agência Estado

25 de março de 2013 | 10h37

O organismo que controla o futebol mundial revelou que "analisará agora o conteúdo da carta e os próximos passos do caso serão determinados em seu devido tempo". A Costa Rica alega que a "integridade física" de seus jogadores se viu afetada, que o "movimento da bola se tornou impossível diante da quantidade de neve no gramado" e que as linhas que demarcam o campo de jogo desapareceram em razão da forte nevasca.

A Federação Costarriquenha de Futebol também pediu para a Fifa punir os árbitros da partida, entre eles Joel Aguilar, salvadorenho que dirigiu o confronto.

Para o protesto ter chance de ser bem-sucedido, porém, ele deve atender aos requisitos específicos estabelecidos pela Fifa para o qualificatório da Copa do Mundo de 2014. Uma cláusula do regulamento da entidade diz, inclusive, que quando uma seleção se vê em condições anormais para atuar, o capitão da mesma deve "apresentar imediatamente um protesto ao árbitro na presença do capitão da equipe adversária".

O resultado da última sexta-feira deixou a Costa Rica na lanterna das Eliminatórias da Concacaf, com um ponto, enquanto os Estados Unidos subiram ao segundo lugar, com três pontos ganhos. Os costarriquenhos voltarão a atuar pelo qualificatório para o Mundial de 2014 nesta terça-feira, diante da Jamaica, em casa.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifaCosta RicaEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.