Arnd Wiegmann/ Reuters
Arnd Wiegmann/ Reuters

Fifa anuncia liberação de R$ 817 milhões para ajudar organizações de futebol pelo mundo

Entidade afirma que serão liberados imediatamente R$ 2,7 milhões para cada membro associado

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2020 | 10h36

A Fifa anunciou nesta-sexta-feira que vai doar dinheiro para todas as suas federações associados nos anos de 2019 e 2020. A organização afirma que essa é a primeira etapa de um plano maior de financiamento, que visa dar assistência à comunidade futebolística afetada pela pandemia do novo coronavírus. Ao todo, US$ 150 milhões (R$ 816,9 milhões) serão distribuídos entre 211 órgão nacionais de futebol ao redor do mundo. A CBF é uma das federação associada à Fifa.

"O plano começa fornecendo assistência financeira imediata aos nossos membros associados, muitas dos quais estão passando por graves dificuldades financeiras. Este é o primeiro passo de um amplo plano de assistência financeira que estamos desenvolvendo para responder à emergência em toda a comunidade futebolística. Juntamente com nossas partes interessadas, estamos avaliando as perdas e trabalhando nas ferramentas mais apropriadas e eficazes, para implementar as outras etapas deste plano de assistência", disse Gianni Infantino, presidente da organização, em comunicado.

De acordo com o líder da entidade máxima do futebol, é dever da Fifa, como órgão mundial, apoiar a comunidade futebolística, que se encontra necessitada. "A pandemia causou desafios sem precedentes para toda a comunidade do futebol e, como órgão mundial, é dever da Fifa estar lá para apoiar aqueles que estão enfrentando grandes necessidades."

A Fifa explica, que, ao invés dos membros associados receberem o valor total da contribuição mediante cumprimento de critérios específicos, a organização irá transferir esse valor como um suporte ativo para ajudar e proteger o futebol. Ou seja, o projeto vai liberar imediatamente US$ 500 mil (R$ 2,7 milhões) para cada associação.

A entidade alerta que esse dinheiro será destinado para que os órgãos nacionais de futebol ao redor do mundo cumpram suas obrigações financeiras com funcionários e terceiros. A Fifa alerta que as responsabilidades em relação ao uso desse fundo continuam sujeitas ao processo padrão de auditoria e relatórios, conforme consta no regulamento da organização. Infantino ainda explica que esse plano foi concretizado por causa da posição financeira favorável que a entidade conseguiu consolidar nos últimos quatro anos e que as demais etapas do projeto de alívio financeiro estão sendo finalizadas e serão comunicadas em breve. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.