Fifa aprova Mundial de Clubes em 2005

O Comitê Executivo da Fifa aprovou nesta segunda-feira a realização da segunda edição do Mundial de Clubes, em 2005, no Japão. A competição foi realizada apenas uma vez até agora, em 2000, no Brasil - o Corinthians foi campeão. Depois de muitos adiamentos e bastante pressão contrária, parece que dessa vez ela voltará a ser disputada, substituindo a Copa Intercontinental."O Mundial de Clubes será disputado no Japão, entre 11 e 28 de dezembro de 2005. Embora os clubes do G-14 digam que não o querem, nele estarão os ganhadores da Liga dos Campeões, da Copa Libertadores e das competições continentais de cada confederação", garantiu o presidente da Fifa, Joseph Blatter.Criado para ser um torneio anual, o Mundial de Clubes sofreu um duro golpe logo em 2001, quando a quebra da ISL, parceira da Fifa, impossibilitou a realização de sua segunda edição. Depois disso, o maior problema foi a pressão do G-14, entidade que reúne as 18 maiores equipes do futebol europeu e sempre foi contra essa competição, por entender que ela só incha ainda mais o calendário.Mas Blatter resolveu encarar os descontentes e acertou a realização do Mundial de Clubes nos próximos dois anos no Japão. Para isso, o torneio terá formato curto, com apenas 6 times, e irá substituir a Copa Intercontinental, disputa que reunia o campeão da Europa e o da América do Sul. "Tínhamos um contrato para os anos de 2005 e 2006 e vamos cumprí-lo. Depois veremos", afirmou o presidente da Fifa. Blatter aproveitou a ocasião para atacar o G-14, que tinha feito uma denúncia a Tribunal da Suíça em protesto pelo excesso de competições no calendário do futebol, numa clara medida contra o Mundial de Clubes. "Me parece uma falta de disciplina e de respeito. Temos uma estrutura piramidal, na qual, se um clube tem um problema deve ir a sua associação nacional, que o levará ao Comitê Executivo da Fifa", disse o dirigente, que se disse ?triste? com tal medida. "Os problemas de uma família devem ser resolvidos dentro. Sair, só para pedir o divórcio."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.