Fifa aumenta controle de transferências internacionais

Tentando barrar a corrupção, entidade vai exigir registro dos jogadores transferidos na internet

AE-AP, Agencia Estado

24 de fevereiro de 2010 | 13h19

Bilhões de dólares e milhares de jogadores profissionais trocam de países anualmente em um mercado de transferências com poucas regras e ilegalidades. Mas a Fifa começará neste ano a aumentar o controle.

A entidade responsável pela organização do futebol tornará obrigatório para a maioria das ligas o uso de um registro de transferências na internet, o que modificará a maneira como os jogadores trocam de país.

O sistema promete ser simples. As equipes se registram em uma rede onde devem colocar os detalhes de qualquer transferência internacional e apresentar comprovantes de pagamento, identidade dos representantes envolvidos e outros documentos para verificar quem é o novo empregador do atleta.

A Fifa afirma que, após anos de uma supervisão deficiente, alguns representantes terminam por "possuir" seus clientes e controlam seus movimentos. Existem pagamentos ilegais entre as equipes e empresas, e até lavagem de dinheiro através de transferências de jogadores fictícios. A entidade espera que o novo sistema elimine essas práticas.

"O mercado de transferências é um dos últimos lugares do planeta onde há bilhões de dólares sem que ninguém supervisione", disse Mark Goddard, chefe do programa anticorrupção da Fifa. "Tem sido praticamente uma selva sem supervisão e isso vai mudar", prometeu.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifatransferências

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.