Fifa aumenta tempo de treino para Copa

A Fifa quer garantir que os astros internacionais cheguem à Copa do Mundo da Alemanha em plena forma. Para isso, a entidade adotou a primeira medida para uniformizar os calendários do futebol, ao anunciar neste domingo que os campeonatos nacionais de todo o mundo devem estar concluídos até o dia 14 de maio de 2006. Joseph Blatter, presidente da Fifa, ainda deixou claro que a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) terá de mudar o formato das Eliminatórias disputadas na região. Hoje, uma seleção sul-americana é obrigada a disputar 18 jogos para se classificar para o Mundial, o que tem deixado os clubes europeus irritados por ter de liberar seus jogadores tantas vezes.A preocupação da Fifa é de que a Copa de 2006 repita o cenário do Mundial de 2002 ou da Eurocopa deste ano, quando algumas das equipes favoritas não conseguiram bons resultados supostamente diante da fatiga de seus principais jogadores. A Fifa teme que, ao chegarem cansados para o principal torneio do futebol, os jogadores não apresentem seu melhor rendimento e a qualidade do Mundial seja colocada em risco. "Algumas federações podem não gostar dessa regra, mas temos de proteger a Copa do Mundo e os jogadores, que são os atores do evento", afirmou Blatter.Pela determinação da Fifa, os campeonatos nacionais devem ser interrompidos no dia 14 de maio. Uma semana de férias será dada aos jogadores, que ainda terão outras duas semanas e meia de preparação com suas seleções - a Copa de 2006 começa 9 de junho. Apenas dois jogos serão permitidos após o dia 14 de maio: a final da Liga dos Campeões da Europa, no dia 17, e a final da Copa da Inglaterra, no dia 20, marcando a reinauguração do novo estádio de Wembley. A federação nacional que queira manter um campeonato além da data estabelecida pela Fifa precisará pedir autorização da entidade, mas, mesmo assim, os jogadores que irão à Copa do Mundo terão de ser liberados.A decisão faz parte de esforço para harmonizar o calendário internacional diante das crescentes polêmicas para a liberação de jogadores de seus clubes. Novas reuniões da Fifa ocorrerão em janeiro e Blatter já insinua que o atual formato das Eliminatórias na América do Sul não sobreviverá para o Mundial de 2010. Para ele, o modelo de partidas entre todas as seleções do continente durante dois anos "não é bom para o futebol e nem para os jogadores, muitos deles membros de equipes na Europa". "Como podemos ter um calendário internacional se são mantidas 18 partidas de classificação para uma das confederações", questionou o dirigente.Parte da pressão por um calendário mais enxuto vem dos clubes europeus, que criam obstáculos para liberar seus jogadores mais essenciais e mais caros. Alguns deles chegaram a entrar com processo judicial para receber compensações pelas liberações, o que a Fifa não aceita nem negociar.Blatter, porém, reconhece que há um " excesso de futebol " e optou por ciar um grupo de trabalho que irá formular esse novo calendário. O grupo conta com representantes de clubes de todo o mundo, entre eles o Palmeiras.Seguro - Respondendo ainda à pressão dos clubes, outra decisão inédita tomada pela entidade máxima do futebol neste domingo foi a criação de uma espécie de "seguro Fifa " para os jogadores que participarão da Copa de 2006. As equipes haviam se queixado de que jogadores que retornavam do Mundial levavam meses para se recuperar de lesões, gerando prejuízo aos clubes.A sugestão foi entra em contato com seguradoras para fechar um contrato, mas as empresas se recusaram fazer parte do negócio.A Fifa, então, decidiu retirar 5% dos prêmios aos participantes da Copa do Mundo, cerca de US$ 13 milhões, para destiná-los a um fundo que será usado para pagar compensações a clubes por jogadores contundidos durante o Mundial. O dinheiro irá para as federações nacionais, que terão de repassá-lo para equipes prejudicadas.Apesar de ceder a certas pressões dos clubes, a Fifa deixou claro neste domingo que não aceita o projeto das 15 principais ligas da Europa de formarem uma associação separada para cuidar de seus interesses e fazer lobby. Blatter afirmou que a iniciativa é ilegal e que poderão sofrer sanções.Em outra decisão, a Fifa anunciou modificações em suas regulamentações para permitir que um jogador possa ser transferido de clubes duas vezes em uma só temporada em certas condições. Flexibilizações no empréstimo de jogadores também foram apresentadas e entrarão em vigor no dia 1 de julho de 2005, assim como as demais decisões.A Fifa também discutiu a questão da jogadora mexicana Maribel Domínguez, que solicitou permissão para defender um time masculino na segunda divisão do seu país. E negou o pedido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.