Fifa cede e Copa do Mundo no Catar vai acontecer no inverno

Para evitar o verão no país árabe, entidade apresenta proposta para Mundial ser realizado entre janeiro-fevereiro ou novembro-dezembro

Jamil Chade - Correspondente em Genebra, O Estado de S. Paulo

08 Setembro 2014 | 11h09

Pela primeira vez, a Copa do Mundo será disputada fora de seu período tradicional em meados do ano. A Fifa propõe mudar a data da Copa de 2022 no Catar para evitar o verão no país árabe. Nesta segunda-feira, em Zurique, a entidade apresentou duas opções de datas alternativas para o evento cercado por polêmicas. As datas oferecidas seriam janeiro-fevereiro de 2022 ou novembro-dezembro do mesmo ano.

Tradicionalmente, a Copa ocorre nos meses de junho e julho. Mas a Fifa criou uma escândalo quando deu a organização do evento ao Catar, depois que o Comitê Olímpico Internacional havia recusado a candidatura de Doha para os Jogos Olímpicos indicando que seria impossível disputar eventos esportivos no verão, entre os meses de junho e agosto no hemisfério norte.

Os cartolas da Fifa, entre eles Ricardo Teixeira, optaram por ignorar o clima e elegeram o Catar para sediar a Copa que tradicionalmente ocorre em meados do ano. Mas a pressão de jogadores e mesmo da opinião pública forçou a Fifa a rever o calendário. Nesta segunda-feira, o presidente da Fifa, Joseph Blatter esteve com demais cartolas, entre eles o CEO do Comitê Organizador Local de 2022, Hassan Al Thawadi, além de presidentes de clubes e de associações nacionais.

O grupo recebeu do secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, documentos sugerindo a mudança da Copa para o inverno do hemisfério norte. Duas datas foram sugeridas: janeiro e fevereiro de 2022 ou novembro e dezembro. Valcke deixou claro que a Copa precisa acontecer no ano de 2022, e não poderia envolver nem dias em 2021 ou 2023.

A proposta, porém, obriga a Fifa a realizar uma mudança no calendário internacional entre 2018 e 2024. Clubes europeus temem ver torneios como a Liga dos Campeões seriamente afetada pelo Mundial, que obrigaria o Velho Continente a rever a agenda de seu evento mais lucrativo.

Mas não é apenas o mundo do futebol que se queixa. As federações de esportes de inverno não querem o futebol competindo com os Jogos Olímpicos de Inverno de 2022. O argumento desse grupo é bastante explícito: não há como esquiar no verão e o inverno é o único momento possível para realizar os eventos.

Uma nova reunião está marcada para novembro de 2014, quando os diferentes grupos vão apresentar dados sobre como essa nova agenda poderia afetar suas competições. Em fevereiro de 2015, mais uma reunião seria convocada, na esperança de bater o martelo na data final. 

Mais conteúdo sobre:
futebol copa 2022 copa do mundo catar fifa

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.