Fifa confirma Brasil como sede da Copa do Mundo de 2014

Investimentos em estádios e infra-estutura necessários são calculados em R$ 2 bilhões.

Thomas Pappon, BBC

30 de outubro de 2007 | 12h55

A Fifa confirmou a escolha do Brasil para sediar a Copa do Mundo de 2014. A decisão foi anunciada nesta terça-feira pelo presidente da entidade, Joseph Blatter, após uma reunião do Comitê Executivo da Fifa.O anúncio, realizado na sede da Fifa em Zurique, foi acompanhado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e 12 governadores - incluindo José Serra, de São Paulo, e Aécio Neves, de Minas Gerais, dois possíveis candidatos à gestão presidencial que presenciará a realização do torneio em 2014.Centenas de jornalistas, representantes do governo e convidados da CBF lotaram o auditório da Fifa, no que, segundo porta-vozes da entidade, foi o evento mais concorrido e animado já realizado no local.A confirmação do Brasil era esperada. O relatório dos inspetores da Fifa, que estiveram no Brasil no final de agosto, concluiu que o país estava apto a realizar a Copa, apesar de apontar precariedades em todos os estádios cotados para o torneio e no sistema de transportes públicos.Blatter disse na segunda-feira que não via como os membros do Comitê Executivo pudessem negar ao Brasil o direito de sediar a Copa, tendo em vista o cumprimento das condições necessárias.A decisão de levar o Mundial de 2014 ao Brasil, entretanto, foi questionada por órgãos da imprensa internacional.O jornal Financial Times disse que a Fifa estava correndo o "risco de levar a Copa ao caos" ao permitir a realização do torneio em um país marcado por sérios problemas no transporte aéreo e de corrupção, principalmente no setor de obras públicas.A agência Reuters afirmou em reportagem que "o crime é um grande motivo para grande preocupação, mas que o transporte vai ser a grande dor de cabeça".As reformas dos estádios, que, entre outras coisas, precisarão renovar e ampliar os setores dedicados à imprensa e aos VIPs, são avaliadas inicialmente em R$ 2 bilhões pela CBF.As melhorias na infra-estrutura dependerão do setor público. O governo já adiantou que projetos previstos pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) poderão ser adiantados para ajudar na preparação do torneio.Todos os trabalhos referentes aos estádios e organização da Copa serão supervisionados pelo Comitê Organizador da Fifa, que quer "que os padrões e demandas da Copa do Mundo superem os de qualquer evento já realizado na história do Brasil".Isso significa que a Fifa estará controlando e cobrando o cumprimento de um cronograma específico para a conclusão de obras e outros projetos.A Fifa tem o direito de, no caso de não estar satisfeita com o andamento do processo, desistir de realizar a Copa no Brasil. Neste sentido, um dos problemas apresentados pela CBF como possível obstáculo ao bom andamento dos preparativos da Copa seria a instauração de CPIs no Congresso para investigar supostas irregularidades no futebol, como as levantadas no caso MSI-Corinthians.Líderes políticos ligados ao governo federal e aos Estados que pretendem ser sedes da Copa no Brasil já demonstraram, segundo informações veiculadas pela imprensa nacional, que estariam dispostos a mobilizar suas bases para barrar possíveis CPIs.Ao todo, 18 cidades concorrem para receber os jogos. A Fifa deverá decidir no ano que vem entre oito a 12 delas.Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre e Brasília são tidas como as favoritas.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.