Stringer/EFE
Stringer/EFE

Fifa conhece infraestrutura da candidatura do Catar

País do Oriente Médio planeja investir US$ 42,9 bilhões para receber a Copa do Mundo de 2022

AE, Agência Estado

15 de setembro de 2010 | 11h19

O Comitê de Inspeção da Fifa conheceu nesta quarta-feira os planos de infraestrutura da candidatura do Catar para sediar a Copa do Mundo de 2022, com a construção de uma rede ferroviária de alta velocidade, um aeroporto para 50 milhões de passageiros e uma cidade-satélite a ser tirada do papel para 200 mil pessoas, além de dezenas de hotéis.

Os projetos de infraestrutura fazem parte de um estudo de investimentos de US$ 42,9 bilhões (aproximadamente R$ 73,6 bilhões) do país do Oriente Médio e serão feitos mesmo que ele não seja escolhido para receber a Copa. Com essas promessas, o Catar garante que terá condições de acolher os turistas no Mundial de 2022.

Os inspetores da Fifa ficarão no Catar até quinta-feira. Na terça-feira, eles visitaram um estádio especialmente concebido com sistema de energia solar, com refrigeração, que poderia ser instalado nos 12 estádios da Copa. O sistema é projetado para manter a temperatura em 27ºC no campo e nas arquibancadas, longe da média de 41ºC dos meses de junho, julho e agosto.

A equipe de inspeção inclui seis delegados, liderados por Harold Mayne-Nicholls, presidente de Futebol do Chile. Danny Jordaan, diretor executivo do Comitê Organizador da Copa do Mundo da África do Sul, também faz parte da delegação.

O Catar é o ponto final da inspeção aos noves países que são candidatos para sediar as Copas do Mundo de 2018 ou 2022. As visitas são necessárias para a realização do relatório que ajudará os membros do Comitê Executivo da Fifa a escolherem as sedes do torneio em votação marcada para o dia 2 de dezembro.

Inglaterra, Rússia, Estados Unidos e as candidaturas conjuntas de Espanha com Portugal e Holanda com Bélgica estão na disputa tanto pela Copa de 2018 quanto pela de 2022. Já Austrália, Japão, Coreia do Sul e Catar se apresentaram apenas para receber o Mundial de 2022.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.