Jorge Adorno/Reuters
Jorge Adorno/Reuters

Fifa declara presidente do Olimpia culpado por manipulação de partidas

Marco Antonio Trovato Villalba recebeu uma desqualificação vitalícia e ainda foi multado em R$ 600 mil

Redação, Estadao Conteudo

28 de setembro de 2020 | 12h48

O Comitê Disciplinar da Fifa declarou o presidente do Olimpia, do Paraguai, Marco Antonio Trovato Villalba, culpado por manipulação de partidas e falta de cooperação ao longo das investigações. A entidade anunciou, nesta segunda-feira, uma desqualificação vitalícia do mandatário, que ainda foi multado em 100 mil francos suíços (R$ 600 mil).

"O Comitê Disciplinar da Fifa considerou que o Sr. Trovato Villalba violou o art. 18 do Código Disciplinar da Fifa (manipulação de jogos e competições), bem como com sua obrigação de cooperar durante o procedimento disciplinar, conforme previsto no art. 20 do Código Disciplinar da Fifa", disse a entidade, em comunicado.

Agora, Trovato possui um prazo de 10 dias para recorrer às sanções. De acordo com a imprensa paraguaia, o mandatário fará uma apelação ao Tribunal Arbitral do Esporte (TAS). Enquanto uma decisão final não for estabelecida, ele seguirá na presidência do Olímpia, mas não representará o clube na Associação Paraguaia de Futebol (APF).

"A decisão foi notificada hoje ao senhor Trovato Villalba, que tem o prazo de dez dias para requerer o fundamento completo; posteriormente, será publicado no portal legal fifa.com . Esta decisão pode ser apelada ao Comitê de Apelação da Fifa de acordo com as disposições do art. 56 do Código Disciplinar da Fifa", diz a entidade.

Trovato está sendo investigado desde 2019. Seu nome foi ligado à Apostola, considerada uma das principais casas de apostas esportivas do Paraguai. Ele teria manipulado resultados de jogos do Olímpia entre 2018 e 2019, anos em que a equipe foi campeã dos torneios Apertura e Clausura.

O time paraguaio será o adversário do Santos na próxima quinta-feira, às 19 horas, pela quinta rodada da fase de grupos da Libertadores da América.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.