Hélvio Romero/Estadão
Hélvio Romero/Estadão

Fifa deixará vago lugar de Marin em comitê dos Jogos Olímpicos

Entidade não vai substituir o dirigente no torneio olímpico

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

18 de junho de 2015 | 07h01

A Fifa decidiu que vai deixar vazia a cadeira que era ocupada por José Maria Marin no Comitê Organizador dos Torneios Olímpicos de Futebol. Até terça-feira o ex-presidente da CBF ainda aparecia na lista de integrantes do grupo, com a ressalva de que estava temporariamente banido do órgão.

Desde quarta-feira, no entanto, Marin foi retirado do Comitê e ninguém entrará no seu lugar. “Atualmente não há planos para substituí-lo”, diz nota enviada pela Fifa ao Estado.

O dirigente foi detido no dia 27 de maio em Zurique, na Suíça, acusado de ter participado de um esquema de corrupção na Fifa e recebido propinas nas negociações da Copa América e suborno em contratos da Copa do Brasil, torneio organizado pela CBF. Logo em seguida, o Comitê de Ética da Fifa proibiu Marin de exercer qualquer atividade relacionada ao futebol.

Enquanto esteve à frente da CBF, até abril, Marin trabalhou politicamente nos bastidores da Fifa no processo de escolha das cidades-sede dos Jogos Olímpicos de 2016. O dirigente conseguiu, por exemplo, incluir Manaus na lista, contrariando os planos originais do COI (Comitê Olímpico Internacional) e da Fifa. O torneio de futebol dos Jogos Olímpicos será disputado em sete estádios, maior número desde 1964.

Marin também atuou para que o Itaquerão recebesse dez partidas – quatro do torneio masculino e seis do feminino – mesmo sem garantias de que as obras necessárias para adaptar a arena seriam realizadas. O anúncio da presença do estádio do Corinthians na Olimpíada de 2016 foi feito em março, mas apenas no fim de abril, quando o dirigente já havia deixado a presidência da CBF, é que ficou definido quais patrocinadores bancariam a reforma da arena.

O Estado apurou que a avaliação da entidade e dos organizadores dos Jogos é que agora, restando um ano para a Olimpíada, os preparativos estão na fase técnica e de execução, e que por isso não é necessário colocar um substituto para fazer o trabalho político que Marin exerceu nos bastidores.

Antes da saída de Marin da CBF o Comitê Organizador dos Torneios Olímpicos de Futebol era composto por 17 dirigentes da Fifa. O órgão é comandado por Marco Polo Del Nero, presidente da CBF. Outro representante do Brasil no Comitê é Guilherme Marques, coordenador esportivo do Co-Rio. Mas ele não faz parte da lista de membros efetivos, e atua apenas como assessor especial do órgão.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolFifaCBF

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.