REUTERS/Jonathan Ernst
REUTERS/Jonathan Ernst

Fifa descarta negar voto a territórios dos EUA na escolha da sede da Copa de 2026

Candidatura composta pelos três países da América do Norte - além dos EUA, México e Canadá - enfrentará o Marrocos

Estadão Conteúdo

10 Maio 2018 | 14h46

A Fifa não impedirá que territórios governados pelos Estados Unidos participem da votação que vai definir a sede da Copa do Mundo de 2026. Uma candidatura composta pelos três países da América do Norte - além dos EUA, México e Canadá - enfrentará o Marrocos na eleição.

+ Confira o noticiário da Copa da Rússia

A eleição está marcada para 13 de junho, no Congresso da Fifa, em Moscou, e envolve 207 federações nacionais. Os países que são candidatos não podem participar da votação.

Diante disso, em uma carta à Fifa, Marrocos questionou se Samoa Americana, Guam, Porto Rico e as Ilhas Virgens Americanas estariam em situação de conflito e, portanto, impedidos de votarem. Embora governado pelos Estados Unidos, o quarteto é considerado como sendo quatro nações futebolísticas pela Fifa, com cada um tendo direito a um voto.

Mas as regras da Fifa para definição de sedes colocam o ônus sobre os delegados do congresso de se declararem em conflito e impedidos de votarem. Assim, não utiliza a sua legislação para barrar o direito a voto. E a entidade explicou que nenhuma federação avisou a Fifa de que não pretende participar da definição da sede da Copa do Mundo de 2026.

"No momento em que escrevo, nenhuma associação membro notificou a Fifa sobre sua intenção de não exercer suas funções relacionadas ao procedimento de escolha da sede da Copa do Mundo de 2026", afirmou a Fifa em comunicado enviado à agência de notícias The Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.