Fifa diz que acusação contra Ricardo Teixeira já foi investigada

A Fifa rejeitou as acusações feitas pela emissora britânica BBC contra três membros do comitê executivo da entidade, justificando que o caso já foi investigado por autoridades suíças.

BRIAN HOMEWOOD, REUTERS

30 de novembro de 2010 | 11h20

O programa Panorama, da BBC, apresentou na segunda-feira o que afirmou ser novas evidências de corrupção na escolha pela Fifa da International Sports and Leisure (ISL) como sua agência oficial de marketing, no ano 2000. A ISL faliu em 2001.

De acordo com a BBC, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, recebeu propina da ISL para se manifestar a favor do contrato com a empresa. O presidente da confederação sul-americana, Nicolás Leoz, e o presidente da confederação africana, Issa Hayatou, também são acusados do mesmo comportamento.

"As questões referentes aos casos ... estão relacionadas há muitos anos e já foram investigadas pelas autoridades responsáveis na Suíça", disse a Fifa em comunicado nesta terça-feira.

A federação internacional acrescentou que uma investigação criminal realizada na região suíça de Zug não resultou em nenhuma condenação aos dirigentes da Fifa.

"É importante ressaltar mais uma vez o fato de que nenhum integrante da Fifa foi acusado de qualquer ofensa criminal nesses procedimentos", disse o comunicado. "A investigação e o caso estão definitivamente encerrados", acrescentou.

Tudo o que sabemos sobre:
FUTFIFATEIXEIRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.