Kim Ludbrook/EFE
Kim Ludbrook/EFE

Fifa diz que nenhuma ameaça impedirá Copa na África do Sul

Secretário-geral da entidade pede auxílio das agências de segurança do mundo para evitar atentados da Al Qaeda

EFE,

09 de abril de 2010 | 11h45

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, disse hoje que nenhuma ameaça impedirá a realização da Copa do Mundo deste ano na África do Sul.

Ontem, a rede de televisão americana CBS informou que a Al Qaeda ameaçou cometer atentados em diferentes países durante o Mundial, entre eles Estados Unidos, França, Inglaterra, Alemanha e Itália.

"Não é porque recebemos uma ameaça que vamos deixar de disputar a Copa na África do Sul ou em qualquer outro país", afirmou Valcke em Soweto, no sudoeste de Johanesburgo, durante a apresentação de uma das únicas 11 bilheterias que serão abertas em 11 cidades sul-africanas para a venda de ingressos da Copa do Mundo em mãos.

O secretário-geral da Fifa relatou que sabia da ameaça da Al Qaeda e que a entidade não está trabalhando apenas com os países participantes, "mas com todos que possam ajudar a evitar atentados".

"Estamos trabalhando com esta ameaça em nível ministerial e com as agências de segurança de todo o mundo para garantir que nada aconteça na África do Sul", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifaCopa 2010

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.