Fifa diz que ninguém foi pego em exames antidoping surpresa

Os exames antidoping surpresa, realizados com jogadores das 32 seleções antes do início do Mundial, apresentaram resultados negativos em todos os 216 casos, informou a Fifa, neste domingo. "Apesar de as equipes terem sido submetidas a vários controles em poucos dias, a colaboração dos jogadores, treinadores e assessores foi excelente", comentou o médico-chefe da Fifa, Jiri Dvorak.Os exames antidoping foram realizados nos próprios campos de treinamento das seleções, sem aviso prévio. Quatro jogadores por delegação foram sorteados e a amostra de um deles foi submetida a uma análise especial para a detecção de eritropoietina (conhecida por EPO, a eritropoietina é um hormônio secretado pelo rim que estimula a medula óssea a elevar a produção de células vermelhas do sangue). Nestes 128 exames realizados, tampouco foram confirmados casos de dopagem.Com relação ao Mundial de 2002, a Fifa decidiu aumentar em 20% o número de exames antidoping realizados antes do início da Copa. Para o médico-chefe da entidade máxima do futebol mundial, os resultados confirmaram mais uma vez que "não há razão para se pensar que, ao se controlar mais jogadores por equipe ou realizar mais análises fora de competições, será obtido um número maior de resultados positivos". E completou: "a Fifa continuará insistindo que educação e prevenção são fatores essenciais em sua estratégia contra o doping".Durante a Copa da Alemanha, a cada partida dois jogadores por seleção serão selecionados para coleta de amostras de urina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.