Fifa e governo da Grécia fazem acordo para evitar suspensão de clubes e seleções

Após um ultimato dado na semana passada pela Fifa que teria seu fim nesta sexta-feira, o governo da Grécia e a entidade que controla o futebol mundial chegaram a um acordo nesta terça para reiniciar a Copa da Grécia, suspensa pelas autoridades do país europeu por causa de incidentes violentos entre torcidas. Assim, os gregos evitam que os clubes e a seleções nacionais sejam proibidos de disputar competições internacionais.

Estadão Conteúdo

12 de abril de 2016 | 18h28

O acordo foi feito após reuniões da Federação Grega de Futebol (EPO, na sigla em grego) e o ministro de Esportes, Stavros Kondonis, com o representante da Fifa Kostakis Kutsokumnis. Foi anunciado que as partes se comprometeram a retomar a competição em breve e definir até esta sexta-feira uma data para as partidas restantes.

No começo do mês passado, Kondonís suspendeu a disputa da Copa de futebol do país após um episódio de violência protagonizado por torcedores durante a semifinal da competição, entre PAOK e Olympiakos, no estádio Toumba, em Tessalonica.

O governo grego tomou a decisão depois que os torcedores locais do PAOK interromperam o confronto, já na reta final do mesmo, quando o time da casa perdia por 2 a 1. Na ocasião, diversos fogos e sinalizadores foram lançados das arquibancadas na direção do campo.

A polícia tentou impedir o ato da torcida, mas dezenas de torcedores decidiram invadir o campo para entrar em combate com os policiais. Tudo por conta de um pênalti que não teria sido marcado a favor do time da casa, em confusão que fez com que o árbitro desse o confronto por encerrado.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolGréciaFifaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.