Andre Penner/AP
Andre Penner/AP

Fifa exibe satisfação com Congresso Técnico em Santa Catarina

'Tivemos uma semana importante em Florianópolis', afirma o secretário-geral da entidade Jérôme Valcke

Paulo Favero, Agência Estado

21 de fevereiro de 2014 | 15h29

FLORIANÓPOLIS - A Fifa avaliou como muito proveitoso o Congresso Técnico realizado no Costão do Santinho, em Florianópolis, nesta semana. A entidade explica que esse é o principal evento da Copa antes do mês de junho e que reuniu figuras importantes das 32 seleções que vão disputar o torneio. "Tivemos boa reunião, atualização sobre transporte e aeroportos, falamos de mobilidade. Tivemos uma semana importante em Florianópolis", explica Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa.

Ele se mostrou animado em relação ao Mundial no Brasil, mas deixou claro que as coisas não saíram como programadas desde o início. "Ficou claro que desde o início nem todos os projetos ficariam prontos. Sabíamos que uma parte ficaria pronta para garantir a mobilidade urbana para estádios e aeroportos, mas tenho certeza de que as cidades serão diferentes após a Copa. O que está sendo feito não se limita a 2014, é um investimento imenso que ficará como legado", comenta.

Nos três dias de atividade no Congresso Técnico, foram discutidos detalhes sobre logística das seleções, questões relativas ao transporte das delegações e principalmente temas sobre segurança. Algumas questões ficaram um pouco em aberto, como os detalhes de quem vai bancar as estruturas complementares para a realização de jogos da Copa do Mundo.

"Precisamos do espaço exterior para colocar as instalações complementares, a vila de hospitalidade, o centro de mídia. É preciso muito espaço e isso é muito importante", continua Valcke, ciente de que algumas capitais estão reclamando de ter de arcar com os custos, mesmo tendo assinado documentos em que se colocavam à disposição para isso.

Aldo Rebelo, ministro do Esporte, garante que o País não vai decepcionar nesta reta final para o Mundial. "Nós nos aproximamos do grande acontecimento que o Brasil e o mundo aguardam. Fizemos um esforço para colocar de pé todas as ações e iniciativas necessárias. Estamos em fase de conclusão das obras e três estádios não foram entregues ainda, de São Paulo, Curitiba e Cuiabá. Mas verificamos recentemente avanços, tenho ido com muita frequência aos lugares. O Brasil se aproxima da Copa criando as condições para que ela corresponda a melhor expectativa do País e do mundo e que seja realizada com grande sucesso."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.