Fifa fala em usar navios para hospedar dirigentes no Rio de Janeiro

Entidade conhece os problemas da falta de hoteis durante a Copa de 2014 em algumas cidades do País

Jamil Chade, correspondente, O Estado de S. Paulo

26 de setembro de 2012 | 15h07

ZURIQUE - A Fifa constata que já não haveria mais tempo hábil para se construir hoteis suficientes para a Copa do Mundo de 2014 e já fala abertamente na possibilidade de usar navios para hospedar parte da diretoria, patrocinadores e torcedores durante a competição. "Há uma preocupação com a hospedagem", reconheceu Jim Boyce, membro do Comitê Executivo da Fifa.

A ideia foi cogitada nesta quarta-feira na reunião da Fifa em Zurique por representantes da Match, empresa que tem os direitos sobre a hospedagem e que tem como um de seus sócios um sobrinho de Joseph Blatter, presidente da Fifa.

Para o presidente da CBF, José Maria Marin, essa pode ser uma solução para responder à crise de hoteis em algumas cidades do País. "O Brasil tem uma costa generosa",  dusse. Não é a primeira vez que essa opção é apontada no caso do Brasil. Os organizadores dos Jogos Olímpicos Rio 2016 já haviam feito proposta similar.

O diretor executivo do Comitê da Copa, Ricardo Trade, esclareceu que, por enquanto, essa opção se refere apenas ao Rio de Janeiro. "A Match pode colocar navios no Rio. Estão procurando cuidar de nossos clientes", disse. Sua avaliação é de que a solução cabe às autoridades públicas.

No governo, um grupo de trabalho atua para encontrar uma solução para o assunto. Mas muitos alertam que não resolveria o problema de Cuiabá, uma das cidades com os maiores desafios nessa área e que está a mais de 2 mil quilometros de distância do mar.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa 2014FifaBlatterMarin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.