Fifa fará o Mundial de Clubes em 2005

O Mundial de Clubes será reativado, a partir de 2005. A competição disputada apenas em 2000, no Brasil, volta a fazer parte do calendário da Fifa, embora ainda não tenha data nem local definidos. A tendência é a de que seja confirmada a Espanha como organizadora, já que havia sido escolhida como anfitriã do torneio inicialmente marcado para 2001 e que foi cancelado por falta de patrocinadores e por dificuldade na venda de direitos de transmissão para a televisão.O Comitê Executivo definiu em Zurique o período da competição - o verão no Hemisfério Norte, entre julho e agosto. Ou seja, no período que coincide com o fim da temporada de 2004-05 e início da de 2005-06. A decisão provocou reação imediata dos grandes clubes europeus, que não se sentem atraídos por essa sobrecarga no calendário. "Está decidido e haverá o Mundial", limitou-se a dizer o presidente da Fifa, Jospeh Blatter, criador do campeonato e um dos principais defensores de sua continuidade.O dirigente terá dois anos para avaliar poder de persuasão e dobrar a União Européia de Futebol. Times como Manchester, Arsenal, Milan, Bayern de Munique deixaram clara intenção de brigar por redução no número de compromissos oficiais e são contra a interrupção das férias.A má vontade da Europa ficou evidente, três anos atrás, quando Real Madrid e Manchester representaram o continente na experiência realizada no Brasil com oito participantes. No início de 2000, as duas equipes interromperam sua programação local, vieram para São Paulo e Rio - sedes escolhidas pela CBF -, mas não se empenharam nem nos treinos nem nos jogos. Embora com elencos fortes e milionários, tiveram participação burocrática, para atender a interesses da Fifa e não chegaram à decisão. Não mostraram sequer decepção.A final foi Vasco x Corinthians, no Maracanã. Houve empate de 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação - e o time paulista fez a festa quando Edmundo errou a última cobrança de pênaltis. Mesmo com o título, o Corinthians havia sido excluído da edição seguinte, que teria La Coruña e Madri como subsedes e 12 times na disputa.O número de concorrentes, a presença do único campeão, a distribuição de vagas por continentes, além das novas sedes e datas devem ser discutidos em próximas reuniões da Fifa. Há consenso de que o torneio decola se os europeus se convencerem de que devem entrar de ?corpo e alma?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.