Fifa faz críticas à África do Sul

Primeiro a Fifa, mandou telegrama de pêsames, por causa da tragédia que provocou a morte de 43 pessoas em Johannesburgo, no jogo entre Kaizer Chiefs e Orlando Pirates. Agora, a entidade que controla o futebol no mundo critica os sul-africanos. O secretário-geral Michel Zen-Ruffinen disse, nesta quarta-feira, que muitas das recomendações para garantir segurança foram desprezadas pelos organizadores da partida que terminou de forma dramática, na semana passada."A análise inicial do que ocorreu no Estádio Ellis Park demonstra que as medidas de segurança sugeridas pela Fifa foram ignoradas", observou Zen-Ruffinen. "Em primeiro lugar, o jogo foi iniciado, mesmo com situação tensa, dentro e fora do estádio", enumerou o dirigente. "Não houve cooperação entre os responsáveis pelo evento esportivo e a polícia", recordou. "Além disso, os alambrados se mostraram novamente barreira mortífera." A Fifa sugere, há algum tempo, o fim das "grades de ferro".Os comentários de Zen-Ruffinen foram tomados como sinal de enfraquecimento da candidatura da África do Sul para organizar o Mundial de 2010. O continente africano tem a clara preferência de Joseph Blatter, presidente da Fifa, para ser a sede da Copa. A escolha, no entanto, ocorrerá apenas em 2004. Tempo suficiente para que o episódio possa ser esquecido.Os sul-africanos continuam empenhados em dissociar o que houve no Ellis Park com sua capacidade de organizar um Mundial. Desde a semana passada, dirigentes e políticos repetem que a tragédia foi um fato isolado. Uma comissão investiga as causas do acidente, mas até agora não apareceu nenhum culpado. O estádio tem capacidade para 67 mil torcedores e calcula-se que houvesse mais de 100 mil. As famílias das vítimas também ainda não receberam indenização.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.