Fifa faz média com países-sede

Os japoneses insistiram tanto que conseguiram mudar o nome da Copa do ano que vem. A competição chama-se oficialmente Mundial Fifa 2002 Coréia-Japão, mas surgiu autorização para que seja abreviada para Mundial 2002. A mudança foi autorizada nesta quinta-feira, em reunião entre os organizadores do torneio e o sueco Lennart Johansson, um dos vice-presidentes da Fifa.A designação original estava provocando descontentamento, principalmente por parte do Comitê Organizador japonês, que não aceitava o fato de o nome de seu país aparecer depois do dos rivais. Por isso, desde o mês passado os ingressos colocados à venda para o público local traziam o nome do Japão na frente.Os sul-coreanos reclamaram, por entender que os vizinhos estavam rompendo acordo assinado em 96, quando ambos foram escolhidos como anfitriões da competição. Em troca, o Japão ganhou o direito de fazer a final em Yokohama. "Aquele acerto vale para o nome em inglês", retrucou Shunichiro Okano, presidente do Comitê Organizador japonês. "Não para âmbito doméstico." Para acabar com a briga, japoneses e sul-coreanos decidiram ir à Fifa.A entidade que controla o futebol tentou driblar os dois rivais, mas afinal cedeu e os autorizou a usar apenas Mundial 2002. Ou, se os japoneses preferirem, também podem colocar apenas seu nome nas entradas distribuídas no país e nos cartazes oficiais. "Estamos satisfeitos", disse Chung Mong Joon, do Comitê Organizador sul-coreano para encerrar o assunto.Fifa, japoneses e sul-coreanos garantem que os preparativos "andam em ritmo muito bom". O Japão escolheu 84 locais de concentração para as equipes e 40 centros de treinamentos. A Coréia do Sul apontou 67 opções para concentração e 32 campos de treinos para os times que a visitarem. A procura por ingressos também é grande e há pedidos de 2 milhões de entradas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.