Fabrice Coffrini/ Divulgação
Fabrice Coffrini/ Divulgação

Fifa terceiriza setor que investigava possível manipulação de jogos

Trabalho passa a ser conduzido pela empresa de dados Sportradar

O Estado de S.Paulo

03 Fevereiro 2017 | 12h38

A Fifa fechou sua divisão para detecção de manipulação de jogos, decidindo terceirizar o trabalho de descobrir irregularidades envolvendo apostas no futebol mundial. As investigações que o Sistema de Alerta Precoce da Fifa realizou por uma década serão agora geridas pela empresa de serviços de dados Sportradar.

Nesta sexta-feira, a Fifa declarou que o Sistema de Detecção de Fraudes da Sportradar vai "identificar e analisar qualquer comportamento ou padrão suspeito de aposta". Os especialistas da Sportsradar também irão se reportar à Fifa, que ainda não substituiu o diretor de segurança Ralf Mutschke, ex-diretor da Interpol que deixou o cargo em dezembro após ser o responsável pela segurança da Copa do Mundo e pela luta contra a manipulação de jogos.

Anteriormente, a Fifa havia destacado as vantagens de ter o seu sistema, o apontando como um "pilar fundamental do trabalho de ética da Fifa" e salientando que operava independentemente da indústria de apostas. Já a Sportradar presta serviços para casas de apostas.

Mas a Fifa destacou que "toda a gama de serviços de prevenção de fraudes" disponibilizado para a entidade pela Sportradar será benéfico para o futebol. "Preservar a integridade do jogo é fundamental para a Fifa", disse o presidente da Fifa, Gianni Infantino. "Dado que a manipulação é ainda um problema sério que preocupa todos os que amam o jogo, a Fifa vai trabalhar com a Sportradar, a líder mundial em detecção e prevenção de manipulação de jogos para melhorar nosso programa de integridade".

A Sportradar também fornecerá um aplicativo para jogadores e treinadores relatarem preocupações sobre irregularidades em torno de jogos. O serviço será também educativo, alertando sobre as "repercussões de atividades fraudulentas", disse a Fifa. A empresa já possui acordos de monitoramento de apostas com a Uefa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.