Ennio Leanza/EFE
Ennio Leanza/EFE

Fifa homenageia jornal francês e premia Löw como melhor treinador

Campeão do Mundo com a Alemanha na Copa de 2014, treinador supera rivais de Madrid: Diego Simeone e Carlo Ancelotti

Estadão Conteúdo

12 de janeiro de 2015 | 16h48

A festa de gala da Fifa, nesta segunda-feira, em Zurique, não ignorou o assunto do momento em todo o mundo. Em determinado momento do evento, o telão ao fundo do palco apresentou a inscrição "Je suis Charlie", frase também dita pelo presidente da Fifa, Joseph Blatter, em memória às vítimas dos atentados terroristas que assustaram a França durante a semana passada. "Eu sou Charlie" (na tradução para o português) foi, instantaneamente, a homenagem que passou a rodar o mundo depois do atentado contra a revista Charlie Hebdo, em Paris, na quarta-feira.

Passado o momento de homenagem, a festa voltou ao seu foco principal: a premiação dos melhores de 2014 no futebol. Ralf Kellermann, técnico do Wolfsburg, campeão da Liga dos Campeões, venceu como melhor treinador de futebol feminino apesar de ter recebido apenas 17% dos votos totais.

No masculino, a escolha também foi por um técnico da Alemanha: Joachim Löw, que levou a seleção do seu país ao título da Copa do Mundo do Brasil. Com 36,2% dos votos, ele venceu dois treinadores de renome: Diego Simeone (19%), que apresentou uma revolução tática no comando do Atlético de Madrid, e Carlo Ancelotti (22%), campeão da Liga dos Campeões com o Real Madrid.

"Sei que este prêmio não é só para mim. Estou levando por todos aqueles que me ajudaram. É consequência de muitos anos de trabalho duro. Gostaria de agradecer a todos os técnicos alemães que fazem tanto com os jovens jogadores todo dia", disse Löw, ao receber a taça.

O prêmio de Fair Play da Fifa, entregue no ano passado ao Afeganistão, desta vez foi para os voluntários que participaram da Copa do Mundo no Brasil. Já o jornalista japonês Hiroshi Kagawa, o mais velho a cobrir o Mundial do ano passado, recebeu o "prêmio do presidente", entregue por Blatter.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifaBola de Ouro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.