Divulgação / Conmebol
Divulgação / Conmebol

Fifa indica uso de árbitro de vídeo na Copa do Mundo da Rússia

Diretor comercial da entidade, Philippe Le Floc'h, disse ainda que negocia com patrocinadores para aparecer quando a tecnologia for utilizada

Estadão Conteúdo

22 Janeiro 2018 | 15h22

O árbitro assistente de vídeo (VAR, na sigla em inglês) será utilizado na Copa do Mundo pela primeira vez e negociações estão em andamento com possíveis patrocinadores para aparecer quando a tecnologia for utilizada, disse um executivo da Fifa nesta segunda-feira.

+ Leicester avança na Copa da Inglaterra com 1ª intervenção do VAR no país

+ Liga francesa confirma suspensão do uso da tecnologia na linha do gol após falhas

"Definitivamente, o VAR vai acontecer", afirmou o diretor comercial da Fifa, Philippe Le Floc'h à agência de notícias The Associated Press. "É ótimo ter tecnologia no futebol porque isso também é uma coisa justa".

Os árbitros foram auxiliados pela primeira vez por recursos tecnológicos na Copa do Mundo em 2014. Naquela oportunidade, foi utilizada a tecnologia na linha do gol. Esse sistema enviava uma mensagem instantânea ao relógios dos juízes quando a bola cruzava a linha do gol.

O uso das repetições de vídeo podem levar a paralisações maiores dos jogos na Rússia, pois diferentes ângulos são revisados, apresentando uma oportunidade para a Fifa utilizar o tempo extra para exposição de marcas na transmissão global.

"Estamos falando com várias empresas tecnológicas que estão muito interessadas com o que estamos fazendo no lado tecnológico das coisas", disse Floc'h, durante evento do tour da taça da Copa do Mundo em Londres, nesta segunda-feira.

A decisão final de permitir que as repetições se tornem parte das regras do jogo será na reunião da International Board, em 2 de março. E a ideia é de que elas sejam utilizadas quando há dúvidas envolvendo gols, pênaltis cartões vermelhos e a identidade dos atletas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.