Fifa interrogará acusados de suborno na quarta-feira

Eles teriam pedido dinheiro em troca do voto nas eleições das sedes da Copas de 2018 e 2022

AE-AP, Agência Estado

18 de outubro de 2010 | 10h28

Um dos membros do Comitê Executivo da Fifa acusado de suborno, Amos Adamu revelou nesta segunda que será interrogado por um conselho de ética da entidade na quarta-feira. Outro dirigente envolvido nas denúncias, Reynald Temarii também será ouvido no mesmo dia.

Uma denúncia feita pelo jornal inglês The Sunday Times acusa Adamu, da Nigéria, e Temarii, presidente da Confederação de Futebol da Oceania, de pedirem dinheiro em troca do voto nas eleições de dezembro das sedes da Copa do Mundo de 2018 e 2022. A Fifa já prometeu uma séria investigação sobre o caso.

Adamu se encontrou nesta segunda-feira com o presidente da Fifa, Joseph Blatter, mas se negou a comentar sobre o que teriam conversado. Temarii, por sua vez, disse no domingo que cometeu um erro ao falar com os repórteres do jornal inglês, que se passaram por empresários norte-americanos. Garantiu, no entanto, que não é culpado.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifaCopa do Mundosuborno

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.