Fifa investiga candidatura australiana para Copa de 2022

Entidade avaliará se dirigentes do país violaram norma ética ao oferecer brindes e incentivos

AE, Agência Estado

30 de junho de 2010 | 13h09

A Fifa revelou nesta quarta-feira que abriu uma investigação para verificar se a Austrália violou alguma norma ética ao se candidatar a receber a Copa do Mundo de 2022 por ter oferecido brindes e incentivos. A entidade afirmou que está "analisando o assunto".

Um jornal australiano revelou que os dirigentes do país ofereceram joias com pérolas às esposas dos membros da Fifa com poder de voto. Além disso, também ofereceu o pagamento de uma viagem a um componente do comitê executivo do órgão. Os australianos asseguraram que não violaram nenhuma norma ética.

A Fifa estipula que os candidatos podem oferecer presentes "de valor simbólico", que não possam influir em uma decisão relacionada com o processo de seleção da sede da Copa do Mundo. O comitê executivo da entidade selecionará as sedes dos Mundiais de 2018 e de 2022 em dezembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.