Lucas Dolega/EFE
Lucas Dolega/EFE

Fifa minimiza reclamações sobre escolha de sedes

Apesar de defender o modelo, Jerome Valcke antecipou que podem existir mudanças para 2026

AE-AP, Agência Estado

07 de dezembro de 2010 | 12h31

O secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, minimizou nesta terça-feira as generalizadas reclamações sobre o processo de votação que definiu Rússia e Catar como sedes, respectivamente, para as Copas do Mundo de 2018 e 2022.

Apesar de defender o pleito, Valcke antecipou que podem existir mudanças para a escolha da sede de 2026. Em sua avaliação, a Fifa tem até 2018 para definir "se deve ou não" trocar o modelo atual de votação.

O processo de escolha dos países-sede contou com uma série de polêmicas, como a suspensão de dois membros do Comitê Executivo da Fifa, Reynald Temarii e Amos Adami, acusados de negociarem os seus votos. A própria definição de Rússia e Catar foi criticada: embora prometessem investir muito dinheiro, os dois países foram relativamente mal avaliados nas inspeções.

Mas em meio a insinuações de corrupção e de troca de votos, Valcke garantiu nesta terça-feira que a votação foi "perfeitamente organizada, perfeitamente transparente e perfeitamente sob controle".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifaCopa do Mundo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.