Fifa não garante Copa de 2014 no Brasil

O Brasil ainda não tem garantida a organização do Mundial de 2014, a ser realizado na América do Sul. O País já conta com o apoio da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), mas em princípio terá outros concorrentes no colégio eleitoral marcado para 2008. A afirmação é do presidente da Fifa, Joseph Blatter, que, em entrevista ao Estado, ainda revela que espera o presidente Lula para participar como convidado especial das comemorações do centenário da Fifa e para França x Brasil, em maio, em Paris.Estado - A Fifa diz que a Copa de 2014 será na América do Sul e a região designou o Brasil como candidato único. O Brasil está preparado para o desafio?Blatter - É natural que a Copa vá para a América do Sul. A região não teve essa oportunidade desde 1978, quando o evento ocorreu na Argentina. A Conmebol tomou a iniciativa de dar ao Brasil esse privilégio. Mas isso não quer dizer que já esteja tudo definido.Estado - O que o País ainda terá que fazer para ser sede?Blatter - Deve responder a uma lista de exigências. Além disso, a Fifa não vai deixar que haja apenas um candidato e teremos que convidar outros países, também sul-americanos. O que posso garantir é que o Brasil não poderá concorrer sozinho.Estado - A questão da segurança no Brasil preocupa?Blatter - Segurança é uma questão fundamental em qualquer lugar do mundo, seja no Brasil, em Marrocos ou na Espanha. O mundo não é seguro, mas sim totalmente louco. O que é importante é ter a infra-estrutura necessária. O Brasil tem 180 milhões de habitantes, um belo futebol e pode sediar o evento. Porém, deve haver vontade do governo e da sociedade. A Copa deve ser realizada com recursos privados, principalmente na renovação dos estádios. O governo deveria se limitar a investir em transporte e telecomunicações.Estado - A Fifa comemora seu centenário neste ano. O que ainda está sendo planejado para marcar a data?Blatter - Estamos organizando uma grande festa do futebol mundial e teremos uma partida entre o atual campeão do mundo, o Brasil, contra a França, em maio. Fizemos um convite oficial ao presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, para que esteja em Paris para acompanhar a partida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.