Heinz Peter Bader/Reuters
Heinz Peter Bader/Reuters

Fifa nega que tenha recebido carta da CBF sobre Diego Costa

Entidade brasileira havia divulgado que enviou documento indicando que o atacante seria convocado por Felipão

Jamil Chade, O Estado de S. Paulo

25 de outubro de 2013 | 08h52

GENEBRA - A polêmica em relação ao jogador Diego Costa tem o seu novo capítulo. Na manhã desta sexta-feira, a Fifa desmentiu a informação veiculada oficialmente pela CBF, na última quinta-feira, de que a entidade brasileira teria enviado uma carta informando que o atacante do Atlético de Madrid será convocado pelo Brasil para amistosos. Um e-mail oficial da Fifa à reportagem do Estado indica que essa carta não foi recebida. “Até agora, não parece que tenhamos recebido nenhum tipo de carta da CBF”, declarou a entidade em Zurique por meio de sua assessoria de imprensa.

A Fifa confirma que não existe nada por enquanto que impeça o jogador de optar por atuar pela Espanha. No mesmo e-mail, a Fifa deixa claro que um jogador está livre até que atue com uma seleção em um jogo oficial de uma competição internacional. Diego Costa apenas atuou em amistosos pelo Brasil. Na prática, a CBF tentou colocar o jogador numa encruzilhada com o suposto envio da carta. Se o atacante optar por não atender e jogar pela Espanha, ele terá de enviar uma carta assinada tanto para a CBF quanto para a Fifa com a justificativa. “Será como assinar um divórcio definitivo”, comentou ao Estado uma fonte próxima ao assunto.

Nas semanas anteriores, especulava-se que o jogador teria optado por atuar pela Espanha. Todavia, por mais que a federação em Madri tenha forçado a situação para que um papel fosse assinado, apenas um acordo verbal parece ter ocorrido. Com a iniciativa de Scolari, uma espécie de contrato será assinado, de um lado ou de outro. Se ele atender a CBF, suas chances com a Espanha estão terminadas. Se recusar a CBF, fecha suas portas no Brasil.

Na Espanha, a jogada de Felipão foi recebida com muita irritação, já que força o jogador a tomar uma decisão definitiva e por escrito. A Federação de Futebol da Espanha se recusa a falar do assunto em público, mas ao Estado, fontes da entidade não escondem que temem que a jogada possa “balançar” o jogador. Afinal, Felipão acenou com a possibilidade de Diego Costa atuar por uma das seleções favoritas ao título e que joga a Copa do Mundo no seu País. Ainda assim, os espanhois acreditam que o atacante vai atuar pela Roja. No ultimo dia 3, ele se reuniu com o treinador Vicente del Bosque e foi informado de que, sempre que estiver rendendo, será chamado. Há dois dias, o atacante confirmou que “a decisão já está tomada. Não se pode dizer agora, mas as pessoas que precisam saber já sabem”, disse. “Mas tenho muito claro o que será feito e no momento adequado será dito”, insistiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.