Divulgação
Divulgação

Fifa oficializa tatu-bola como mascote da Copa de 2014

13.º símbolo do torneio na história, tatu ainda terá o nome definido por um comitê

AE, Agência Estado

17 de setembro de 2012 | 08h53

ZURIQUE - A Fifa divulgou comunicado, nesta segunda-feira, para oficializar o tatu-bola como o mascote da Copa do Mundo de 2014. Na semana passada, a entidade já havia registrado o animal no site de patentes europeias (OHIM), mas somente agora confirmou o mesmo como "um dos mais importantes embaixadores" da competição que será realizada no Brasil daqui menos de dois anos.

No último domingo à noite, o ex-jogador Ronaldo, membro do Conselho de Administração do Comitê Organizador Local (COL) da Copa de 2014, apresentou oficialmente a espécie "Tolypeutes Tricinctus" como mascote durante programa da TV Globo. "Estou muito feliz por dar as boas-vindas a um membro tão importante da equipe de 2014", disse. "O mascote vai desempenhar um importante papel de embaixador nos próximos dois anos. Tenho certeza de que vai emocionar muitos jovens torcedores no Brasil e no mundo todo com a grande paixão que tem pelo esporte e pelo seu país", completou.

O mascote do Mundial já tem até uma própria canção feita para ele, cujo nome é "Tatu Bom de Bola", composta pelo sambista Arlindo Cruz, e a Fifa destacou que o desenho final do animal foi escolhido pela entidade e pelo COL após a análise de 47 propostas de seis agências de publicidade brasileiras. Criado pela agência 100% Design, acabou identificado como favorito do seu principal público-alvo: crianças de 5 a 12 anos.

"É importante destacar que o tatu-bola é uma espécie vulnerável (ameaça de extinção)", afirmou o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke. "Com este mascote, vamos poder realizar um dos principais objetivos da Copa do Mundo de 2014, que é comunicar a importância do meio ambiente e da ecologia. Temos certeza de que ele será amado não apenas no Brasil, mas no mundo todo", acrescentou.

Oficializado como mascote oficial da Copa de 2014, o tatu-bola terá o seu nome escolhido pelo público por meio de votação no site oficial da Fifa, que acontecerá até meados de novembro. As três opções de nomes, definidas por um comitê composto por Bebeto, Arlindo Cruz, Thalita Rebouças, Roberto Duailibi e Fernanda Santos, são Amijubi, uma representação de simpatia e alegria, e dois nomes com uma mensagem ecológica: Fuleco e Zuzeco.

O tatu-bola é o 13.º mascote da história das Copas, sendo que outros quatro animais já foram escolhidos para a função: os leões Willie e Goleo nos respectivos Mundiais de 1966 (Inglaterra) e 2006 (Alemanha), o cachorro Striker em 1994 (Estados Unidos), o galo Footix em 1998 (França) e o leopardo Zakumi em 2010 (África do Sul). 

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa 2014Fifatatu-bolamascote

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.