Peter Powell/EFE
Peter Powell/EFE

Fifa orienta emissoras de TV a respeitar imagens de mulheres na Copa do Mundo

Entidade não chegou a proibir exibição de mulheres bonitas, como foi interpretado

Jamil Chade, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

13 Julho 2018 | 14h02

A Fifa não ordenou que as emissoras evitem mostrar, nos estádios, mulheres bonitas. A entidade, porém, orientou a transmissão a não denegrir a imagem de mulheres, com focos que possam sugerir uma erotização das arquibancadas.

+ Fifa suspira com êxito da Copa do Mundo dentro e fora de campo

+ Fifa celebra Copa inclusiva à comunidade LGBT e espera deixar legado na Rússia

Na quinta-feira, agências de notícia publicaram informações de que haveria uma orientação para que as imagens evitassem "mulheres bonitas", diante da repercussão de escândalos de assédio sexual e do comportamento de torcedores, inclusive brasileiros. Segundo a entidade Fare, parceira da Fifa, pelo menos 30 casos de assédio contra mulheres foram registrados por torcedores, além de quinze jornalistas.

A Fifa confirmou que houve uma decisão em relação à forma de mostrar imagens de torcedores. Mas não que isso signifique evitar "mulheres bonitas". "A Fifa emitiu um guia para o direito de partidas da emissão de televisão em relação a uma série de áreas relacionadas com a cobertura, inclusive o ambiente dos estádios e de torcedores", afirmou a entidade, em um comunicado.

 

"Preferimos que a cobertura evite focos exagerados e prolongados que possam levar à sugestão de conotações sexuais ou uma tendência de gênero", completou a entidade.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.