Fifa ouve caribenho acusado de aceitar suborno na sexta

O dirigente caribenho Colin Klass foi convocado pela Fifa para responder na próxima sexta-feira a acusação de ter recebido suborno de US$ 40 mil de Mohamed bin Hammam durante a campanha para a eleição presidencial da associação. No último mês, a Fifa suspendeu provisoriamente o presidente da Federação de Futebol da Guiana por conta da acusação, que está sendo investigada pela FGI Europe, a agência de Louis Freeh, ex-diretor do FBI.

AE-AP, Agência Estado

19 de setembro de 2011 | 10h22

"Podemos confirmar que o comitê de ética vai realizar uma reunião na sexta-feira, 23 de setembro para olhar para o caso de Colin Klass, que foi provisoriamente suspenso em 11 de agosto", disse nesta segunda-feira a associação em um comunicado oficial.

Outros 15 dirigentes do Caribe estão sob investigação depois de participarem de um encontro com Bin Hammam no dia 10 de maio em Trinidad. Klass foi o único dos 16 a ser suspenso e a ter a audiência do seu caso marcada.

Klass é membro da comissão de futsal e de futebol de areia da Fifa e um antigo aliado de Jack Warner, ex-vice-presidente da Fifa e da Concacaf, que renunciou aos seus cargos em junho. Na última semana, a Fifa recusou a apelação apresentada por Bin Hammam contra a sua suspensão vitalícia do futebol por corrupção.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifaColin Klasscorrupção

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.