Fifa promete doar US$ 25 mil a goleiro de Togo

Kodjovi Obilalé receberá assistência por lesão neurológica após tiro nas costas durante ataque ao ônibus da seleção togolesa

AE-AP, Agência Estado

27 de setembro de 2010 | 09h41

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, prometeu doar US$ 25 mil (aproximadamente R$ 43 mil) ao goleiro Kodjovi Obilalé, que levou um tiro nas costas no início do ano durante ataque terrorista contra a seleção de Togo, pouco antes do começo da Copa Africana de Nações, em Angola.

Obilalé contou que está lutando para conseguir ajuda da Confederação Africana de Futebol, de Angola e de Togo, além de ter enviado uma carta para a Fifa em agosto solicitando algum tipo de assistência. E neste final de semana, Blatter respondeu com a promessa do dinheiro, que virá de um fundo humanitário da federação.

Blatter teria dito também, segundo revelou Obilalé nesta segunda-feira, que a Fifa não pode ser responsabilizada pelo "trágico ataque", mas prometeu "continuar estudando o dossiê".

Baleado na parte inferior das costas, Obilalé sofreu uma lesão neurológica na região da coluna vertebral e chegou a ser anunciado como morto, antes de passar por uma séria cirurgia que o salvou. Duas pessoas foram mortas no ataque ao ônibus da seleção de Togo, realizado na província de Cabinda, em Angola.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifaTogoKodjovi Obilalé

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.