M.A.Pushpa Kumara/EFE
M.A.Pushpa Kumara/EFE

Fifa promete intensificar luta contra racismo no futebol

Após ser criticada por atuação no Brasil, entidade máxima do futebol planeja aumentar combate durante Mundial de 2018

Estadão Conteúdo

02 de dezembro de 2014 | 18h29

Depois das críticas que recebeu pela atuação discreta no combate ao racismo durante a realização da Copa no Brasil, a Fifa prometeu nesta terça-feira intensificar a luta na próxima edição do Mundial, em 2018, na Rússia, já começando pelas Eliminatórias. A entidade revelou que irá treinar inspetores para fiscalizar ações discriminatórias nos jogos.

A força-tarefa da Fifa contra o racismo, que foi criada em março do ano passado e é comandada pelo vice-presidente da entidade, Jeffrey Webb, se reuniu nesta terça-feira, em Zurique, na Suíça. Durante o encontro, foi definido um plano concreto para reforçar o controle nos estádios durante os jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

Segundo comunicado divulgado após a reunião da força-tarefa, a Fifa ressalta a importância de usar a próxima Copa do Mundo para mostrar sua "política de tolerância zero contra qualquer forma de discriminação". A entidade ainda avisou que dará às 209 federações e confederações filiadas, em 2015, um guia de "boas maneiras" para o futebol.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifaBlatterracismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.