Michael Dalder/Reuters
Michael Dalder/Reuters

Fifa pune Federação Dinamarquesa por cartaz sexista de torcedores

Escandinavos também atiraram objetos no gramado durante o jogo contra a Austrália

Jamil Chade, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

24 Junho 2018 | 14h00

O Comitê de Disciplina da Fifa puniu a Associação Dinamarquesa de Futebol com uma multa de 20 mil francos suíços por conta de um cartaz sexista mostrado por parte dos torcedores, no jogo contra a Austrália. A multa também foi imposta por conta de objetos que foram jogados pelos escandinavos. 

Essa é a primeira vez desde o início da Copa que uma torcida é multada por tal atitude. Em um vídeo que circulou por grupos de WhattsApp e que também se espalhou pelas redes sociais, um homem vestido com a camisa da seleção da Argentina foi identificado cometendo assédio contra uma mulher na Copa do Mundo da Rússia. O caso não passou em branco. Indignada, a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich, anunciou em sua conta no Twitter que o torcedor, identificado como Claudio Fitterer, está impedido de entrar nos estádios durante o mundial.

"Como Penovi (Néstor Fernando Penovi, primeiro argentino identificado e que há alguns dias também cometeu assédio contra uma adolescente russa), Claudio Fitterer se aproveitou de uma mulher para dirigir palavrões e ainda transmitiu ao vivo. Nós acabamos de entrar na base de dados para que, como outros 3 mil torcedores, ele seja impedido de entrar nos estádios durante a Copa do Mundo da Rússia", escreveu a ministra em sua conta na rede social.

No vídeo, que tem duração de nove segundos, Claudio e um grupo de amigos conversam com uma mulher de traços orientais. O argentino então pede para que ela repita palavras obscenas.

Além dos argentinos, brasileiros, colombianos e outros torcedores da América Latina cometeram os mesmos tipos de assédio. Em entrevista publicada no Estado, a advogada e ativista russa Alena Popova criticou muito os casos. "Quando você vem ao nosso país, deve se comportar de forma civilizada. Você deve ter mais informações sobre nossa cultura e nossa lei e não pode humilhar nenhuma pessoa em seu entorno. O que eu vi nesse vídeo é que os russos são muito gentis, acolhedores, todos sorriem e tentam ser boas pessoas. E quando se comportam dessa forma, esmagam nossa gentileza", diz Alena.

Ela iniciou uma petição que, até sexta-feira, contava com mais de 26 mil assinaturas, pedindo que todos os responsáveis por assédios durante a Copa do Mundo da Rússia fossem punidos.

De volta à Argentina. Néstor Fernando Penovi desembarcou no início da noite de sexta-feira em Buenos Aires. Cercado por jornalistas logo ainda no saguão do Aeroporto Internacional de Ezeiza, mais uma vez ele pediu desculpas, e acabou sendo repreendido por uma mulher.

INVESTIGAÇÃO

Em outra decisão, a Fifa ainda anunciou que abriu um procedimento contra o suíço Stephan Lichtsteiner. Ele, assim como os jogadores de origem albanesa do time, fez um sinal de uma águia com a mão, numa referência ao Kosovo. O jogo era contra a Sérvia e o gesto foi interpretado como uma provocação. 

O presidente da federação sérvia, Slavisa Kokeza, e o treinador Mladen Krstajic, também passaram a ser alvo de investigações por conta de seus comentários depois do jogo. 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.