Steffen Schmidt|EFE
Steffen Schmidt|EFE

Fifa pune seleções por cantos homofóbicos de torcedores

Chile, Peru, México e Croácia estão entre os times multados

Jamil Chade, Correspondente em Genebra

27 de maio de 2016 | 12h16

A Fifa pune federações latino-americanas por cantos homofóbicos por parte de seus torcedores, num gesto aplaudido por entidade de direitos humanos. Os jogos ocorreram no âmbito das Eliminatórias para a Copa de 2018 e os times punidos incluem Chile, Paraguai, Peru, México, El Salvador e Honduras, além da Croácia na Europa por atos de discriminação de seus torcedores. 

O Chile será impedido de jogar em seu estádio nacional em Santiago por uma partida, além de pagar uma multa de US$ 30 mil (R$108 mil). O jogo em questão será entre Chile e Bolívia e o time ainda pode ser suspenso por mais partidas enquanto o caso é avaliado. 

O México foi multado em US$ 35 mil (R$ 126 mil), enquanto Honduras pegou uma pena de US$ 40 mil (R$ 144 mil). El Salvador ainda terá de pagar US$ 35 mil (R$ 126 mil), contra US$ 20 mil (R$ 72 mil) para o Paraguai e US$ 15 mil (R$ 54 mil)ao Peru. As multas a esses países foram aplicadas por conta do comportamento das torcidas, incluindo ofensas homofóbicas. 

Já a Croácia foi punida por dois jogos das Eliminatórias contra a Turquia e Finlândia. Ela terá de jogar sem sua torcida e pagar uma multa de US$ 150 mil (R$ 542 mil). A decisão foi tomada por conta do comportamento da torcida em outros dois jogos neste ano, com cantos discriminatórios. 

O gesto da Fifa é uma mudança importante em comparação ao comportamento da entidade sob o mandato de Joseph Blatter. Na Copa do Mundo de 2014, apesar dos inúmeros casos de abusos por parte de torcedores, nenhuma seleção foi punida. Na Fifa, a atitude dos torcedores era apresentada como "cultural". 

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolFifa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.