Fifa quer limitar atletas estrangeiros

Preocupado com a globalização do futebol, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, insistiu na idéia de limitar o número de jogadores estrangeiros nas equipes. Em Tóquio, onde acompanha o Mundial de Clubes, o dirigente defendeu que o time tenha o número mínimo de 6 jogadores locais em cada partida."A solução passa por estabelecer um mínimo. A idéia da Fifa é que deveria haver pelo menos seis jogadores que poderiam ir para a seleção do país da equipe em questão", disse Blatter, ao comentar a pergunta de um jornalista sobre o número de estrangeiros do Liverpool, um dos participantes do Mundial do Japão."Um dos princípios da União Européia é o mercado livre, por isso é possível ter em campo tantos jogadores de outros países da União. Isso não acontece só no Liverpool, mas também em outros muitos clubes. É esta situação que não é boa para o futebol", explicou o presidente da Fifa, que revelou já existir um grupo de trabalho na entidade para analisar esta questão. Blatter, no entanto, revelou que a Fifa não pode fazer muita coisa sozinha nesse caso. "A identidade nacional dos clubes é muito importante, mas são os regulamentos dos campeonatos que precisam colocar limites àentrada de jogadores estrangeiros", justificou.

Agencia Estado,

12 de dezembro de 2005 | 09h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.