Fifa reage e nega complô contra o Brasil

A Fifa ratificou nesta quarta-feira a resolução que define os prazos de liberação de jogadores para as seleções nacionais e confirmou o que a CBF temia: os clubes estão autorizados a liberar seus atletas apenas 48 horas antes das partidas. Com isso, o Brasil só terá os jogadores que atuam na Europa para o jogo contra o Paraguai, no dia 29 de março. O jogo está marcado para o dia 31. A entidade negou ainda a existência de um complô contra o Brasil, como chegou a ser sugerido pelo técnico Carlos Alberto Parreira. ?Este assunto está absolutamente claro para nós desde que o calendário internacional foi aprovado em dezembro de 2001. À época foi enviada uma circular a todas as confederações alertando para o fato. A nota diz que se uma partida oficial tiver lugar em uma data reservada para amistosos, se aplicará o prazo de liberação dos amistosos, ou seja, de 48 horas?, disse à agência Dpa, o porta-voz da Fifa, Andreas Herren. Em datas de partidas oficiais definidas pela Fifa, os clubes são obrigados a liberar os jogadores quatro dias antes. O prazo sobe para cinco dias se o jogador estiver em outro continente. Para amistosos, no entanto, o prazo de liberação cai para dois dias.Os dias 30 e 31 de março estão reservados pela Fifa como data para amistosos, só que seleções sul-americanas entram em campo em jogos das eliminatórias da Copa do Mundo. Entre os dias 30 e 31, haverá Brasil x Paraguai; Argentina x Equador, Bolívia x Chile, Peru x Colômbia e Uruguai x Venezuela. ?Para nós o assunto é muito claro?, afirmou Herren. ?Além do mais, a Conmebol (Confederação Sul-americana) não apareceu aqui nas últimas semanas para fazer reclamações a respeito do assunto?, acrescentou o dirigente.De acordo com o dirigente, o problema voltará a acontecer em novembro. Os dias 16 e 17 foram considerados datas de amistosos pela Fifa, mas em determinados lugares haverá jogos pelas eliminatórias. No dia 16, por exemplo, jogam Colômbia x Bolívia e Uruguai x Paraguai.

Agencia Estado,

03 de março de 2004 | 15h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.