Mike Hutchings/Reuters
Mike Hutchings/Reuters

Fifa recebe protesto do Egito sobre marcação de pênalti

Reclamação é de que árbitro só teria marcado pênalti para o Brasil com a ajuda de replay, via 4.º árbitro

AE-AP, Agencia Estado

16 de junho de 2009 | 09h59

BLOEMFONTEIN - A Fifa anunciou nesta terça-feira que recebeu um protesto da Federação Egípcia de Futebol, sobre o lance do pênalti que decretou a derrota por 4 a 3 para o Brasil, na segunda-feira, na estreia das duas seleções na Copa das Confederações.

Veja também:

link Dunga culpa cansaço e admite mudar seleção brasileira

link Egito reclama de suposto uso de vídeo em jogo contra o Brasil

Copa das Confederações 2009 - tabela Classificação

Copa das Confederações 2009 - lista Calendário

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Os egípcios reclamam que o inglês Howard Webb só marcou a penalidade porque foi avisado pelo quarto árbitro do jogo, o australiano Matthew Breeze, que teria visto o replay do lance em um monitor de TV. O uso de imagens é proibido pela Fifa.

"A questão que eles reclamam diz respeito ao processo que levou o árbitro à decisão de marcar o pênalti e dar o cartão vermelho [ao defensor Elmohamadi]", explicou o diretor de comunicação da Fifa, Nicolas Maingot.

Após a partida, o técnico egípcio Hassan Shehata reconheceu que houve pênalti no lance - Elmohamai impediu gol de Lúcio usando o braço. Ele contestou, contudo, a forma como a decisão foi tomada. "Até onde sabemos, não existe uma regra que permita o uso de replay. Ou talvez as regras tenham mudado e ninguém nos avisou."

Segundo Maingot, a entidade deve se manifestar a respeito do caso ainda nesta terça-feira.

Atualizado às 13h15 para correção de informação

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.