Fifa rejeita protesto de egípcios sobre lance de pênalti

Eles alegavam que o árbitro Howard Webb teve auxílio de imagens de TV e, com isso, nada muda sobre o jogo

AE-AP, Agência Estado

16 de junho de 2009 | 13h22

JOHANNESBURGO - A Fifa rejeitou nesta terça-feira o protesto da Federação Egípcia de Futebol sobre o lance que definiu a derrota por 4 a 3 para o Brasil, na segunda-feira, pela Copa das Confederações.

Veja também:

Copa das Confederações 2009 - tabela Classificação

Copa das Confederações 2009 - lista Calendário

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Os egípcios alegavam que o árbitro inglês Howard Webb teve auxílio de imagens de TV para marcar o pênalti de Al Muhamadi - o zagueiro evitou gol de Lúcio colocando o braço na bola.

Segundo a Fifa, o juiz não foi ajudado nem pelo quarto árbitro, nem por imagens. A entidade afirmou, em nota oficial, que foi o auxiliar Mike Mullarkey quem avisou Webb sobre o pênalti cometida pelo egípcio.

"A análise do caso revelou que a decisão sobre o lance foi alcançada depois de uma colaboração em equipe entre o árbitro e o auxiliar número 1, Mike Mullarkey, que pôde ver o lance claramente e confirmou a infração para o juiz", disse o comunicado da entidade.

"A Fifa analisou a decisão do árbitro baseada em todas as evidências à sua disposição, incluindo a súmula da partida, assim como declarações adicionais de Howard Webb em depoimento à Fifa", concluiu a nota oficial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.