Christophe Simon/AFP
Christophe Simon/AFP

Fifa revela a distribuição das vagas para a Copa do Mundo Feminina de 2023

Torneio vai contar com 32 seleções, com 29 vagas diretas (incluindo o país-sede) e mais três por repescagem

Redação, Estadão Conteúdo

24 de dezembro de 2020 | 17h58

A Fifa revelou, nesta quinta-feira, como será a distribuição das vagas para a disputa da Copa do Mundo Feminina, a ser realizada na Austrália e Nova Zelândia, em 2023. O torneio vai contar com 32 seleções, com 29 vagas diretas (incluindo o país-sede) e mais três por repescagem.

As vagas diretas foram distribuídas da seguinte forma: 6 para Ásia, 4 para África, 4 para América do Norte e Central, 3 para América do Sul, 1 para Oceania, 11 para Europa.

A repescagem vai ser disputada por dez seleções, que serão divididas em três grupos, dois com três países e um com quatro. A líder de cada grupo estará garantida no Mundial. Times do mesmo continente não poderão ficar no mesmo grupo. As vagas serão preenchidas por duas equipes da África, duas da Ásia, duas da América do Norte e Central, duas da América do Sul, uma da Oceania e uma da Europa.


Em 1991 e 1995, a Copa do Mundo teve 12 seleções participantes. O número aumentou para 16 nas edições de 1999, 2003, 2007 e 2011. Em 2015 e 2019, foram 24.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.