Fifa seguirá normas do código mundial antidoping

O presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, revelou nesta segunda-feira que a entidade adaptará seu regulamento interno - no congresso de 8 de junho, em Munique - para torná-lo compatível com o código da Agência Mundial Antidoping (AMA). Dessa maneira, a Fifa passaria a aceitar a punição mínima de dois anos para atletas que forem pegos no exame antidoping. "Teremos que adaptar um pouco nosso regulamento no congresso de Munique. A Fifa será compatível com a AMA e a AMA com a Fifa", afirmou Blatter, em entrevista ao jornal alemão Frankfurter Allgemeine. Apesar de adaptar o regulamento da Fifa às normas da AMA, Blatter espera que todas as organizações que aderirem ao código aceitem a idéia de analisar individualmente os casos de doping. Já o Sindicato Internacional dos Jogadores (FIFPro) comunicou que fará oposição ao regulamento que deve ser aprovado em Munique. "Cada caso (de doping) é particular. Não seremos favoráveis a punições de dois anos. Os jogadores nunca participam destas decisões. É inaceitável que se tome essa decisão sem ouvir os atletas", contou o presidente da FIFPro, Philippe Piat.

Agencia Estado,

22 Maio 2006 | 14h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.