Nilton Fukuda/ Estadão
Nilton Fukuda/ Estadão

Fifa suspende cartola por agir como cambista na Copa de 2014

Venold Coombs, presidente de Federação de São Vicente e Granadinas, está proibido de exercer atividades relacionadas ao futebol

Jamil Chade, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

03 Julho 2018 | 10h26

A Fifa suspendeu o presidente da Federação de Futebol de São Vicente e Granadinas, Venold Coombs, por seu envolvimento na venda ilegal de ingressos para a Copa do Mundo de 2014, no Brasil. Ele passa a ser impedido de manter qualquer tipo de relações com a administração do futebol, tanto em seu país como em organismos regionais ou internacionais.

+ Depois de multar jogadores, Fifa pune Suíça por ofensa e invasão ao estádio

+ Fifa multa Federação da Rússia por faixa neonazista; entidade adverte a CBF

+ Diretor da Fifa admite rever regras da Copa para evitar 'jogo de compadres'

Coombs era ainda membro de um dos comitês da Fifa, o que lhe garantia um certo número de ingressos. Como presidente de uma federação nacional, ele também tinha o direito de adquirir entradas. Segundo as investigações, porém, ele decidiu revender esses ingressos, com um sobrepreço.

Ele foi acusado de violar regras de combate à corrupção, conflito de interesse e lealdade ao Código de Ética da Fifa. Além de suspenso por dois anos, terá de pagar uma multa de US$ 40 mil.

Coombs, porém, não foi o único a ser punido por conta de suas ações na Copa de 2014. Ainda em 2015, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, foi afastado depois que o Estado e outros jornais internacionais revelaram como o dirigente havia negociado com cambistas a venda de entradas, inclusive para os jogos do Brasil no Mundial.

 

A Copa de 2014 ainda foi marcada pela prisão de executivos de empresas relacionadas com a Fifa, suspeitos de também fazer parte de esquemas de vendas ilegais de ingressos. Um deles, da empresa Match, acabou sendo solto e declarado inocente.

A Match manteve seus contratos com a Fifa e, na Copa em 2018, continua sendo o principal operador para a venda de entradas de camarotes.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.