AFP
AFP

Fifa suspende dirigente africano acusado de aceitar suborno para manipular jogos

Boniface Mwamelo foi considerado culpado por parte da Câmara de Justiça do Comitê de Ética da entidade

Redação, Estadão Conteúdo

27 de fevereiro de 2019 | 14h18

O Comitê de Ética da Fifa anunciou nesta quarta-feira que suspendeu por toda a vida o dirigente Boniface Mwamelo, de Zâmbia, por aceitar suborno para manipular vários jogos internacionais em 2010. O ex-vice-presidente e tesoureiro da Federação de Futebol de Zâmbia também recebeu uma multa de 10 mil francos suíços (R$ 37,3 mil).

Mwamelo foi considerado culpado por parte da Câmara de Justiça do Comitê de Ética da Fifa por ter aceitado subornos e, assim, violado o Código de Ética. A entidade que comanda o futebol mundial não mais dados sobre os casos que envolvem o dirigente zambiano.

A investigação sobre Mwamelo foi aberta pelo Comitê de Ética no dia 18 de outubro de 2017 e foi finalizada nesta quarta-feira com o anúncio da suspensão do dirigente de qualquer atividade relacionada ao futebol, tanto nacional como internacional, pelo resto de sua vida.

O país já passou por outros casos de fraude no futebol. Vários jogadores da Zâmbia foram condenados em tribunal na Finlândia em 2011 pelo envolvimento com apostadores de Cingapura. A partir daí, a Fifa investigou a Federação de Futebol do país africano por permitir que alguns destes jogadores participassem de partidas domésticas quando eles estavam suspensos em todo o planeta como resultado do caso finlandês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.