Fabrice Coffrini/AFP
Fabrice Coffrini/AFP

Fifa, Uefa e grandes ligas da Europa lutam contra pirataria nas transmissões

Organizações denunciam conduta da BeoutQ, entidade da Arábia Saudita

Redação, Estadão Conteúdo

22 Janeiro 2019 | 12h09

Grandes entidades do futebol mundial abriram "guerra" contra a pirataria nas transmissões dos jogos. Fifa, Uefa, Confederação Asiática de Futebol, além das ligas espanhola, inglesa e alemã apresentaram um comunicado, nesta terça-feira, no qual denunciam abusos da "entidade pirata BeoutQ, da Arábia Saudita", por sua "disseminação persistente e ilegal de eventos sobre os quais não têm direitos".

Em um comunicado, as seis organizações denunciaram a conduta da BeoutQ, com "atividades que claramente e flagrantemente violam direitos de propriedade intelectual", com o último exemplo da Copa da Ásia, que está sendo disputada nos Emirados Árabes Unidos.

"A pirataria de BeoutQ não nos prejudica apenas, os detentores dos direitos, mas também prejudica os licenciados legítimos e, finalmente, os fãs de nossas competições", afirma o comunicado.

As organizações afirmam que "a pirataria mata o investimento". "O dinheiro gerado pela venda de direitos de TV nos ajuda a apoiar os participantes e serve para desenvolver e crescer o esporte", diz o documento.

As entidades também anunciaram que trabalharão "em conjunto" com seus "associados e com as autoridades competentes para fortalecer e proteger os direitos de propriedade intelectual e pôr fim ao problema da pirataria para o benefício de todos".

A empresa BeoutQ é acusada de pirataria durante os jogos da Copa do Mundo da Rússia, em jogos decisivos da Liga dos Campeões da Europa e também em partidas da Copa da Ásia. Investigações poderão ser feitas na Arábia Saudita.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.