Fifa vê progresso no combate ao 'tráfico' de jovens

A Fifa bloqueou mais de 100 pedidos de transferências internacionais de jogadores adolescentes, como parte de seus esforços para combater o que qualifica como "tráfico" de jovens.

AE-AP, Agência Estado

18 de agosto de 2011 | 14h16

Gerente-geral do sistema de transferências (TMS) da Fifa, Mark Goddard disse que mais de 10% das solicitações para transferências de jogadores menores de 18 anos - 118 de cerca de 1.000 - foram negadas desde que foi implementado em outubro um sistema de monitoramento mais restrito.

"Os primeiros indícios mostram que certamente é mais difícil [fazer transferências de adolescentes]", disse Goddard. "Estamos começando a ver uma mudança de comportamento [dos clubes]".

A Fifa bloqueou algumas transferências propostas por causa de documentos fraudulentos. "É certamente um fator. Há muitos casos", disse Goddard, que administra a base de dados de transferências internacionais da Fifa.

Advogados da entidade estudam a possibilidade de abrir ações disciplinares contra associações nacionais, clubes ou empresários em dezenas de casos de tentativas de transferências.

Godard admite que o tráfico não foi completamente freado, e que alguns clubes e empresários seguem encontrando formas de fazê-lo. Em 2009, a Fifa aprovou regras que restringem as transferências de adolescentes porque muitos menores estavam sendo atraídos com promessas de contratos profissionais que não se materializavam.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifatransferências

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.