AFP
AFP

FIFPro critica disputa de jogo do Mundial em campo ruim

Federação acredita que a partida entre Cruz Azul e Western Sidney Wanderers deveria ter sido paralisada por causa da forte chuva

Estadão Conteúdo

17 de dezembro de 2014 | 10h29

A Federação Internacional dos Jogadores Profissionais de Futebol (FIFPro) deseja que a Fifa investigue as razões para que a partida entre Cruz Azul e Western Sydney Wanderers, pelas quartas de final do Mundial de Clubes, em Rabat, não tenha sido paralisada, sendo disputada mesmo que o campo estivesse encharcado, em condição potencialmente perigosa para os jogadores.

Para a FIFPro, permitir o prosseguimento da partida no último domingo "representou uma ameaça grave para a saúde e segurança de todos os jogadores". Diretor do sindicato, Tijs Tummers afirmou que "os jogadores e os trabalhadores têm direito a um ambiente seguro de trabalho", acrescentando que a Fifa deve se certificar que "regras eficazes estão sendo adotadas para prevenir uma repetição".

Com o campo do Estádio Príncipe Moulay Abdallah repleto de poças d'água, o Cruz Azul derrotou o Western Sydney Wanderers por 3 a 1, em duelo definido apenas na prorrogação. O árbitro Noumandiez Doue, da Costa do Marfim, permitiu que o jogo seguisse mesmo com as condições adversas do gramado.

Posteriormente, a Fifa transferiu o jogo entre Real Madrid e Cruz Azul, pela semifinal do Mundial de Clubes, que deveria acontecer em Rabat, para Marrakesh, por causa das péssimas condições do campo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.