Arnd Wiegmann/Reuters
Arnd Wiegmann/Reuters

Luis Figo: 'Blatter não tem capacidade para dirigir Fifa'

'Futebol não é culpado que diretores não tenham integridade'

EFE

29 de maio de 2015 | 15h56

O ex-jogador de futebol Luis Figo, que há alguns dias retirou a candidatura à presidência da Fifa, assegurou, após a reeleição de Joseph Blatter, que "hoje foi outro dia negro em Zurique", e que "a Fifa perdeu, mas sobretudo perdeu o futebol e todos aqueles que verdadeiramente se preocupam com ele."

"Esta votação somente serviu para assegurar a eleição de um homem que não pode se manter à frente do futebol mundial. Ao contrário do que Blatter disse, os acontecimentos da última quarta não mancham o futebol, mas sim a Fifa e os funcionários que a dirigiram até aqui. O futebol não é culpado que os líderes do órgão máximo que o deveria regular não tenham integridade, nem caráter", afirmou o português. 

Na sua conta no Facebook, Luis Figo publicou que "não se pode liderar a Fifa ignorando as regras mais elementares de transparência, legalidade e democracia." O ídolo da seleção portuguesa sinalizou que a reeleição do suíço "mostra que a organização está enferma."

"O senhor Blatter conhecia e tolerava atos corruptos e tráfico de influências, ou se não sabia - como tem dito - é porque não tem capacidade de dirigir a Fifa. Não há outra maneira de ver o problema", disparou.

Figo falou sobre a "reação lamentável e cínica de Blatter" por dizer que "não pode controlar a todos", já que "ofende a nossa inteligência. Foram pessoas que ele promoveu há anos e que, com ele, fizeram da Fifa o que ela é hoje, um organismo decadente."

"Se Joseph se preocupasse minimamente pelo futebol teria renunciado antes de apresentar sua reeleição. Se tem o mínimo de decência, terá que renunciar nos próximos dias", acrescentou.

O ex-camisa 10 do Real Madrid afirmou não se arrepender de nada depois de "lutar, insistir e esforçar-se pela regeneração de uma organização que tem que mudar de rumo. Vivemos uma situação de emergência, e o futebol é o principal prejudicado pela situação atual. O que fiz foi denunciar o que tenho experimentado diretamente. Voltaria a fazer tudo e permaneço disponível a ajudar a Fifa a levantar-se de tudo isso", concluiu o ex-meia da seleção portuguesa.

 

Esta votación sólo sirvió para avalar la elección de un hombre que no puede mantenerse a la cabeza del fútbol mundial....Posted by Luís Figo on Sexta, 29 de maio de 2015


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.